"Se sou o responsável pelas derrotas também sou pela ida do Nelson Évora" - Vicente Moura

Vicente Moura, vice para as modalidades desde 2013, apresentou demissão na sequência das críticas de Bruno de Carvalho e por problemas de saúde. "Ser vice-campeão europeu de futsal é um desastre?", questionou o dirigente ao DN.


Vicente Moura demitiu-se ontem "de forma irrevogável" do cargo de vice-presidente do Sporting para as modalidades em rotura com Bruno de Carvalho. "Demiti-me fundamentalmente por duas razões: saúde e as críticas do presidente às modalidades", explicou ao DN o dirigente máximo das modalidades desde 2013, isto depois de o Sporting ter justificado a sua saída num comunicado apenas com os problemas de saúde.

"Ora bem, quando ontem [quarta-feira] vejo o presidente a fazer uma crítica generalizada às modalidades, que eu pessoalmente acho injusta, acho que isso me põe em causa como dirigente máximo das modalidade, vi que o meu trabalho não é apreciado. E se não é apreciado, não fazia sentido eu continuar a pôr em risco a minha saúde para continuar. Por isso pedi a demissão irrevogável", referiu Vicente Moura ao DN, que deixa funções antes da inauguração do Pavilhão João Rocha (21 de junho).

Mas sentiu que as declarações do presidente o visavam a si? "Claro! As críticas do presidente no Facebook e da forma como foi, depreendem que o meu trabalho não era apreciado e não fazia sentido continuar a prejudicar a minha saúde para nada. Ao criticar as modalidades pôs em causa os atletas, os dirigentes e a mim enquanto responsável máximo. Mas atenção, se sou o responsável pelas derrotas também sou pelas vitórias e pela contratação do Nelson (Évora)", lembrou.

Bruno de Carvalho despediu-se na terça-feira do Facebook com um longo texto, onde criticou duramente a época do Sporting em várias modalidades, entre elas o futsal, cuja equipa perdeu a final da UEFA Futsal Cup por 7-0, frente ao Inter Movistar, de Ricardinho.

"Vejo, em todas as modalidades, um apoio que mais nenhum clube tem no mundo, mas um grau de exigência muito pequeno. A cada mau resultado, e então se torno público o meu desagrado, lá vem a onda de apoio aos "meninos". Nas modalidades, sem ser o futebol, então é confrangedor... perdemos jogos e lá estão as bancadas a aplaudir os "seus meninos" e a acarinhá-los", escreveu Bruno de Carvalho na rede social, sublinhando o esforço da direção para "investir como nunca nas modalidades".

Mas Vicente Moura, de 79 anos, defende que tem "uma visão diferente do presidente", e que por isso vê além do ganhar e perder: "Ser vice-campeão europeu de futsal é considerado um desastre, o que é que faço? Não faço nada. Vou-me embora..."

Contactado pelo DN, com esta versão de Vicente Moura, o Sporting remeteu-se ao silêncio e manteve a versão do comunicado assinado por Jaime Marta Soares: "O presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting informa que, alegando motivos de saúde, o vice--presidente para as modalidades do clube, José Vicente de Moura, lhe solicitou a dispensa do cargo executivo que desempenhava."

Segundo Vicente Moura, a saúde foi também um dos motivos para abandonar o cargo para o qual foi reeleito em março. "Eu tive um enfarte há cerca de um ano e tenho algumas limitações de saúde. Não posso trabalhar tão intensamente e não posso ter grandes emoções. Mas mesmo assim resolvi acabar o mandato e assumi o compromisso de ir a votos e continuar este mandato, sabendo que o facto de ter 52 modalidades, centenas de atletas e problemas, isso me afetaria a saúde, mas eu por gosto e amor ao clube deixei-me ficar", explicou o agora demissionário vice-presidente.

@DN.PT
Share on Google Plus

Sobre Cortina Verde

Portal de informação diária relacionada com o Sporting Clube de Portugal. Artigos, Reportagens e Exclusivos relacionados com a maior potencia desportiva nacional.

0 comentários: