Eduardo Barroso questiona "se recente problema pessoal alterou compromisso de Jesus com o Sporting?"

Antigo dirigente leonino garante, por outro lado, que não há "beliscaduras" entre Bruno de Carvalho e treinador. Pelo menos, que ele saiba.


Eduardo Barroso admite que o "contexto" da relação, e do compromisso, entre Jorge Jesus e o Sporting pode ser hoje diferente. Em causa, as notícias que dão conta da hipótese de o técnico deixar a meio o contrato de quatro anos com os leões.

“Já nada me prende ao Sporting.” Foi isto que Jorge Jesus terá dito a alguns amigos depois das palavras de Bruno de Carvalho, após a derrota com o Belenenses por 1-3, conta o “Correio da Manhã” esta quarta-feira.

No final do jogo de domingo, o presidente do Sporting disse ao canal televisivo do clube que achou o jogo “deprimente” e que, para ele, “já chega”. “Tudo tem de ser diferente na próxima época. O Sporting é vencer, não é dar desculpas”, atirou.

Em entrevista a Bola Branca, o antigo presidente da assembleia-geral do clube de Alvalade, Eduardo Barroso, assegura que não existem problemas entre Bruno de Carvalho e treinador.

"Apesar de podermos estar a recuperar economicamente, não descobrimos petróleo em Alcochete ou em Alvalade", diz Barroso, defendendo que o treinador deve esclarecer junto do presidente as condições que o clube lhe pode oferecer. "Ele pode perguntar isso ao presidente, se lhe consegue dar mais, mas é difícil que o Jorge [Jesus] seja diferente na vida", concretiza.

O compromisso de Jesus com o Sporting

"Há, no entanto, um dado novo que é este problema pessoal [morte do pai] que ele teve. Será que isso altera os seus compromissos com o Sporting? Não sei. Sei é que não há uma beliscadura [entre ambos]. Claro que depois há os intriguistas à volta", refere Barroso, que simula mesmo o que seria a conversa entre presidente e treinador sportinguistas.

"Se Jesus chegar ao pé do presidente e disser: “Olhe, isto sem Ronaldos, nem Messis, não vai lá. Temos dinheiro para isso ou não? Não, não temos, mas foi para isso que te contratámos, porque o meu amigo é o rei da táctica e da estratégia. Então tem que se ver", adverte.

Para além de supostas novas contratações, em cima da mesa da conversa entre Bruno de Carvalho e Jorge Jesus deve estar, igualmente, o futuro de alguns jogadores chave. Eventual condição essencial para que o técnico prossiga "ligado" ao projecto. Eduardo Barroso concorda e, até, exemplifica.

"É preciso saber quem vai sair e isso tem de ser combinado entre presidente e treinador. E é preciso saber como está o balneário. São coisas mais fáceis de tratar quando se ganha do que quando se perde", aponta, ao mesmo tempo que volta a sair em defesa do líder dos leões através de uma comparação com os rivais benfiquistas.

"Quando Bruno de Carvalho tomou conta do Sporting estava numa situação parecida à do Benfica, quando Luís Filipe Vieira chegou ao Benfica. Não havia um tostão para pagar o ordenado a um porteiro. Bruno de Carvalho sempre disse que era possível recuperar economicamente o clube e obter resultados desportivos. E cumpriu, fez o que era possível", conclui.

Por Rui Viegas
@RR.PT
Share on Google Plus

Sobre Cortina Verde

Portal de informação diária relacionada com o Sporting Clube de Portugal. Artigos, Reportagens e Exclusivos relacionados com a maior potencia desportiva nacional.

0 comentários: