Chaby:"O meu sonho é jogar e ser campeão na equipa principal do Sporting"



Emprestado pelo Sporting ao Covilhã, o médio criativo atravessa o melhor momento da carreira e vê na iminente mudança para o Belenenses uma possibilidade de afirmação necessária na I Liga.


A proximidade da saída para o Belenenses, a título definitivo e com partilha de passe, não esmorece a vontade e ambição de Filipe Chaby de vestir, um dia, a camisola do Sporting, clube ao qual se encontra vinculado desde que, também por influência familiar, recusou propostas de Benfica e FC Porto.


Após alguma instabilidade na carreira e uma lesão grave, encontrou a regularidade no Covilhã, na II Liga. Está no seu melhor momento e pronto para se afirmar em patamares superiores?

-É verdade. Não tem sido fácil. Quando estava no meu melhor momento, tive a lesão grave que me afastou seis meses. Recuperei bem, voltei e depois tive a oportunidade na pré-temporada com Leonardo Jardim [2013/14]. Não sei se pela idade ou por algum facilitismo as coisas não me correram da melhor maneira. Voltei à equipa B, depois fui para o União da Madeira, onde conseguimos a subida, mas na transição para a I Liga não tive a oportunidade que queria. No regresso aos bês consegui voltar a jogar e recuperei confiança. Tive de dar dois passos atrás para poder dar três à frente.

Falou em facilitismo... Faltava-lhe ainda maturidade e responsabilidade?

-Um jogador tem de estar preparado para agarrar as oportunidades. Naquela altura nem estava à espera de ser chamado. Leonardo Jardim fez-me evoluir bastante, mas as coisas não se deram. Era jovem e se calhar acabei por facilitar um bocadinho... É também uma aprendizagem que serve para crescer.

E agora, mentalmente, já está preparado?

-Quando subi com o União da Madeira achava que estava preparado para o salto, mas faltaram oportunidades. Não baixei os braços.

Surgiu agora o interesse do Belenenses, que está prestes a concretizar-se. É o cenário ideal?

-É positivo. Além de ser um clube conhecido por ajudar os jovens a desenvolverem-se e a mostrarem o seu potencial, é um clube histórico. O meu objetivo sempre foi a afirmação na I Liga. É fundamental para um jogador português afirmar-se no seu país, vincar o seu nome no nosso campeonato antes de dar outros passos como ir para o estrangeiro. Sempre foi um objetivo estrear-me e afirmar-me na Liga.

Está a ser negociada a transferência em definitivo com partilha do passe. Isso é sinal de que a porta de entrada no Sporting se fecha completamente?

-Não me preocupa, nem me faz confusão. O que quero é ajudar onde estou, dar o máximo. Mas nunca menti que o meu sonho é jogar e ser campeão na equipa principal do Sporting. Só vou desistir quando não puder jogar mais futebol. O meu sonho é jogar no Sporting, sou sportinguista, os meus pais também sonham com isso, é algo que nunca vai ser fechado. Mas neste momento estou mais preocupado em poder mostrar o meu potencial e ajudar a equipa onde estiver.

Em Portugal, após a desvinculação de um grande, não é comum o regresso. Será Chaby a inverter a tendência?

-Não sei... É possível, quem sabe. Espero que sim. Acredito bastante em mim e no meu potencial. A esperança é sempre a última a morrer. O Sporting tem um nível de exigência muito alto. Tenho de continuar a afirmar-me, depois logo se vê se tenho a minha oportunidade. Neste momento sinto que me tenho de afirmar primeiro na Liga e estou preparado para isso. Voltar à equipa B, aos 23 anos, acho que já não me ia ajudar em nada. Quando um jogador sente que perdeu o comboio, mais vale desistir. E eu sei que não o perdi.

Fotografia: Ivan del Val/Global Imagens
Por Rafael Toucedo
Por Jornal OJOGO


Share on Google Plus

Sobre Cortina Verde

Portal de informação diária relacionada com o Sporting Clube de Portugal. Artigos, Reportagens e Exclusivos relacionados com a maior potencia desportiva nacional.

0 comentários: