Bruno de Carvalho: »Num tribunal normal o Sporting tinha ganho a brincar»

Presidente leonino volta ao 'caso Doyen"


Bruno de Carvalho questionou esta quinta-feira, no congresso "The Future of Football", a pertinência de ser o Tribunal Arbitral do Desporto a tomar uma decisão sobre um processo da natureza do que opôs o Sporting à Doyen.

"Num tribunal normal o Sporting tinha ganho a brincar", disse o presidente leonino, lamentando o facto de o clube de Alvalade ter perdido mesmo com o "apoio da UEFA e da FIFA".

Bruno de Carvalho deixou a pergunta se faz sentido "um problema entre um clube e uma empresa", ter de ser resolvido no Tribunal Arbitral do Desporto sendo de "natureza comercial". O Presidente do Sporting reafirmou esta quinta-feira que não são as declarações dos presidentes que reforçam o clima de hostilidade e frisou que a violência é repudiada por todos os clubes.

"Tenho muitos e muitos amigos que são do Benfica e do FC Porto. As instituições não têm culpas dos atos que são cometidos. 99 por cento dos sportinguistas, dos benfiquistas, dos portistas e dos restantes clubes não querem que aconteça", disse o presidente leonino à margem do congresso que está a decorrer em Alvalade, sustentando que é "preciso tirar ilações" porque "não se pode cruzar a linha que pode provocar mortes".

Bruno de Carvalho considerou que "um adepto não cria ódio porque um presidente diz algo do outro", explicando que "por vezes até acalma". "As declarações  servem para tirar pressão da panela", disse.

O presidente do Sporting destacou que é preciso definir barreiras: "É fácil fazer um discurso de Miss Mundo. Temos de separar criminosos de adeptos. No último dérbi fizemos um trabalho preventivo que muito nos orgulha."

Foto: Fernando Ferreira
@Jornal Record

Share on Google Plus

Sobre Cortina Verde

Portal de informação diária relacionada com o Sporting Clube de Portugal. Artigos, Reportagens e Exclusivos relacionados com a maior potencia desportiva nacional.

1 comentários:

Anonymous said...

Incha lagarto