«Uma lição de humildade do Grande Jardim» Por Rui Barreiro

Esta foi uma semana cheia de futebol. 


E uma semana de eventos que fizeram lembrar o Sporting por diversas vezes. Para além da tomada de posse dos novos corpos sociais e das promessas do costume, percebemos que a equipa B está melhor em termos de resultados e exibições. Ainda bem. Os “reforços de inverno” terão dado uma ajuda preciosa e a chicotada psicológica deu resultado. Grandes jogos da Liga dos Campeões, com excelentes jogadores, portugueses e não só, que actuaram no nosso campeonato, a deixarem-nos, aos que gostam do desporto-rei, maravilhados com a intensidade e a beleza do futebol.

Para mim, a grande satisfação foi a vitória do Mónaco sobre o Manchester City. Não que seja adepto do Mónaco ou que não goste do clube inglês, ou do seu treinador catalão. Mas principalmente porque, para além dos jogadores portugueses do Mónaco, gosto bastante de Leonardo Jardim. Este leão, nascido na Venezuela e que desde pequeno fez a sua vida na bela ilha da Madeira, deu uma lição de humildade e capacidade a gerir uma equipa. Mostrou que não basta ter um grande orçamento para triunfar. Mostrou também que a indemnização que o Sporting recebeu pela sua saída prematura de Alvalade foi “peanuts”! Provavelmente nunca se saberão todos os motivos que levaram Jardim a sair do Sporting quando ainda tinha um ano de contrato, mas que o clube monegasco ganhou um grande treinador não restam dúvidas. Desde o Camacha até ao Sporting, este grande treinador português mostrou qualidades ímpares.

No Mónaco, acabou de demonstrar que é possível chegar longe nas competições europeias e estar na frente do campeonato francês e a lutar noutras frentes internas. Gostava que Leonardo Jardim levasse o seu Mónaco à final da Liga dos Campeões e demonstrasse, mais uma vez, a sua qualidade de treinador. Que o Sporting tem tido grandes jogadores e grandes treinadores, disso não restam dúvidas. Faltam outros actores de qualidade para alcançar os títulos desejados.

Rui Jorge, outro treinador de grande qualidade, referiuse esta semana aos jogadores do Sporting resgatados neste mercado de inverno e que são habituais nas selecções deste ex-jogador sportinguista, que sempre apreciei. E teve toda a razão ao dizer o que disse. De facto, ao seleccionador interessa que os jogadores cheguem com ritmo de jogo e com dinâmica que só os clubes podem proporcionar. Felizmente, as reacções oficiais do Sporting foram contidas e aceitáveis. Mas que os jogadores do Sporting fazem falta à Selecção, disso também não restam dúvidas.

Alvalade assistiu a mais uma vitória que permitiu a Bas Dost consolidar a sua liderança de marcador de golos, em Portugal e na Europa, e permitiu demonstrar que também em Alvalade é possível contratar jogadores de qualidade. Oxalá se torne a bitola a seguir. Poucas e boas contratações são o que se precisa. Mais uma vez, Bryan Ruiz mostrou ser um excelente profissional, ao jogar numa posição que não é a sua e a fazê-lo com a classe de um grande jogador, apesar de muitas vezes injustiçado pelo “tribunal” de Alvalade. Continuem as vitórias e melhorem as exibições e no fim fazem-se as contas.

A indemnização que o Sporting recebeu pela saída prematura de Alvalade [de Leonardo Jardim] foi “peanuts”.

Por Rui Barreiro
@Jornal OJOGO
Share on Google Plus

Sobre Smile Brain

Portal de informação diária relacionada com o Sporting Clube de Portugal. Artigos, Reportagens e Exclusivos relacionados com a maior potencia desportiva nacional.