Madeira Rodrigues: "Na 2.ª feira vou falar com Jesus. Espero que saia pelo próprio pé"

O candidato às eleições do Sporting vincou que dentro de si vive um leão muito ‘raçudo’ e que só equaciona um resultado, a vitória sobre Bruno de Carvalho.


Pedro Madeira Rodrigues fez hoje um balanço “muito positivo” da sua campanha eleitoral para presidente do Sporting, acreditando piamente em alcançar a vitória nas eleições de sábado.

Em conferência de imprensa efetuada na sede da sua campanha, em Lisboa, o candidato às eleições do Sporting vincou que dentro de si vive um leão muito ‘raçudo’ e que só equaciona um resultado, a vitória sobre Bruno de Carvalho.

“Desde o início que fiz uma campanha completamente limpa, em que apostei em apontar somente factos. Ainda hoje, fui alvo de ataques pessoais do Bruno de Carvalho. Não há comparação possível entre as duas campanhas eleitorais”, afirmou Pedro Madeira Rodrigues, que fez questão em sublinhar o facto de ser um sportinguista genuíno. O candidato à liderança dos ‘leões’ considera que fez uma campanha “sempre em crescendo”, desde que há “três meses” decidiu concorrer às eleições, e elegeu como melhor da sua campanha o debate televisivo, do qual saiu “muito satisfeito”.

Pedro Madeira Rodrigues promete uma grande equipa de futebol sob a liderança treinador espanhol Juande Ramos, “que vem ganhar menos do que Jorge Jesus, apesar de saber quanto é que aufere o atual treinador do Sporting”.

“O Juande Ramos tem currículo e é um grande treinador", frisou o candidato.

Sobre Jorge Jesus, repetiu o que já disse num passado recente: “Espero que ele se demita e abandone o clube no caso de eu ganhar as eleições. Na próxima segunda-feira, espero ter uma conversa com ele. E espero que ele saia pelo próprio pé”.

Madeira Rodrigues refere que já falou com Laszlo Boloni e Juande Ramos sobre a contratação de futuros reforços, mas que não vai adiantar nada de concreto a esse respeito.

“Só lá para o mês de junho estarei em condições para o fazer", disse, aproveitando para criticar os cerca de 70 milhões de euros que suportam a atual massa salarial do plantel principal: “É uma verba inadmissível. Ainda por cima, sem resultados. Vou construir, com menos dinheiro, um plantel bem mais valioso”, frisou.

Depois de mostrar a sua revolta pelo facto de José Maria Ricciardi lhe ter chamado "mafioso", Pedro Madeira Rodrigues contra-atacou: “Chegou a hora de pessoas como o senhor Ricciardi, Bruno de Carvalho e Jorge Jesus abandonarem o clube”.

A questão financeira preocupa amiúde o candidato da lista A. "É inadmissível o Sporting ter dinheiro cativo pela UEFA. E se o Bruno de Carvalho vencer as eleições, vai logo torrar o dinheiro ganho com as transferências do Slimani e do João Mário”.

Pedro Madeira Rodrigues insistiu que não se recanditará se, nos próximos quatro anos, não ganhar pelo menos um campeonato pelo Sporting, apelando ao voto em massa dos sócios nas eleições agendadas para sábado.

O candidato às eleições do Sporting encerra na sexta-feira a sua campanha com um jantar no restaurante “A Casa do Leão”, que fica dentro das muralhas do Castelo de São Jorge, em Lisboa.

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt
Foto: Paulo Rascão | MadreMedia
Share on Google Plus

Sobre Smile Brain

Portal de informação diária relacionada com o Sporting Clube de Portugal. Artigos, Reportagens e Exclusivos relacionados com a maior potencia desportiva nacional.