Rui Morgado: «Ao não responder em 48 Horas, Jaime M.Soares está a ser parcial»

 Presidente da Mesa da Assembleia Geral ignorou pedido de afastamento de Madeira Rodrigues. Providência cautelar é último recurso.


Pedro Madeira Rodrigues e Jaime Marta Soares estão em guerra aberta. O presidente da Mesa da Assembleia Geral (AG), e recandidato ao mesmo cargo pela lista de Bruno de Carvalho, decidiu manter-se em funções e ignorar o pedido formal de afastamento, feito pelo candidato.

"Além de ser uma falta de educação, é uma violação dos regulamentos, que dizem que a Mesa tem de responder a uma qualquer reclamação em 48 horas. Ao não responder, o presidente está a mostrar duas coisas muito graves: está a violar os regulamentos e está a ser aquilo de que é acusado: ser parcial", disse ao DN Rui Morgado, candidato à presidência da Mesa da Assembleia Geral do Sporting pela lista de Madeira Rodrigues.

O advogado revelou ainda que vão pedir três pareceres sobre o assunto. "Para já vamos pedir um parecer ao Conselho Fiscal e Disciplinar do clube, um ao Conselho Leonino, que tem como funções velar pelo cumprimento dos estatutos e regulamentos, e um à Universidade do Minho, que é a entidade que supervisiona o processo eleitoral do Sporting, para se pronunciarem sobre aquilo que nós consideramos ser uma violação do artigo 60 dos regulamentos", revelou Morgado, recusando, para já, pensar numa providência cautelar para afastar Marta Soares.

Certo é que Jaime Marta Soares não vê motivos para se afastar do cargo a que se candidata num segundo mandato: "A questão da ética é de quem não tem mais argumentos, porque, para mim, a ética são os valores da consciência, da dignidade e da honra. E como eu tenho a consciência tranquila sobre os valores de isenção e responsabilidade do meu cargo, não me afasto do meu lugar de presidente da Mesa até ao dia das eleições. E depois, se ganhar, continuarei."

É que, segundo o líder da AG, "não há nos estatutos ou regulamentos" nada que o obrigue a afastar-se. "Se ele [Madeira Rodrigues], no exercício de qualquer função, tem dúvidas da sua isenção, eu não tenho e por isso manter-me-ei no exercício das minhas funções, como responsável máximo do processo eleitoral", esclareceu, antes de explicar que "não tinha de responder" ao pedido. "E não o fiz para pagar na mesma moeda, é bom que isso fique esclarecido", disse o presidente da Mesa em exercício, referindo-se a uma carta enviada ao candidato em questão, para esclarecer acusações sobre a Comissão de Honra de Bruno de Carvalho...

Madeira Rodrigues apresentou, formalmente, no dia 2 de fevereiro, uma reclamação junto da Mesa da AG leonina em que pedia o afastamento "de todos os membros da mesa que são candidatos a algum órgão social do Sporting da condução deste processo eleitoral", por temer que fossem juízes em causa própria. O que, na prática, já aconteceu, na opinião da candidatura queixosa, pois foi Marta Soares que decidiu sobre o pedido de afastamento do próprio.

Entre as razões invocadas na carta, o candidato refere que a decisão do líder da AG em manter-se no cargo "viola os mais elementares princípios democráticos, de transparência e ética". Pois, "um candidato a presidente da Mesa da Assembleia Geral que é simultaneamente presidente em exercício não está em pé de igualdade com os outros candidatos".


@DN.PT
Share on Google Plus

Sobre Smile Brain

Portal de informação diária relacionada com o Sporting Clube de Portugal. Artigos, Reportagens e Exclusivos relacionados com a maior potencia desportiva nacional.