Paulo Pereira Cristovão apresentou-se como consultor de Paiva dos Santos.

Ex-dirigente deslocou-se a Alvalade com o acionista da Sporting SAD João Paiva dos Santos para discutir auditoria externa, mas reunião acabou por não realizar-se. Por causa de Pereira Cristóvão.


O hall VIP do Estádio José Alvalade recebeu esta terça-feira visitas… inesperadas. E não, não estamos a falar dos grupos de adeptos do Borussia Dortmund que aproveitaram a deslocação dos germânicos à Luz para defrontarem o Benfica e deram um saltinho ao museu do Sporting. Paulo Pereira Cristóvão, antigo vice-presidente do Sporting entre março de 2011 e junho de 2012, esteve esta manhã no local mas acabou por sair sem cumprir o propósito da viagem.

Mas o que estava o ex-inspetor da PJ a fazer em Alvalade? Pereira Cristóvão apresentou-se como consultor de João Pedro Paiva dos Santos, acionista da Sporting SAD que iria reunir com o Conselho Fiscal da Sociedade verde e branca a propósito de uma auditoria de gestão externa. Um encontro que nunca aconteceu… por causa de Paulo Pereira Cristóvão. Em causa para a “falta de condições” esteve o processo interno e os processos criminais do ex-dirigente.

“O Conselho Fiscal e a Comissão Executiva da Sporting SAD tinham agendado para hoje, às 10h30, uma reunião a pedido do acionista João Paiva dos Santos. Observa-se que o acionista João Paiva dos Santos se fez acompanhar, nomeadamente, pelo Sr. Paulo Pereira Cristóvão. Tendo em conta o processo disciplinar interno em curso, e os processos criminais em que este é arguido, entendeu o Conselho Fiscal da Sporting SAD e a Comissão Executiva não estarem criadas condições objetivas para a prossecução da mesma”, explicou um comunicado assinado por Bruno de Carvalho e Rui Moreira de Carvalho, presidente do Conselho Fiscal da SAD dos leões.

“Para esta tomada de posição, foi realizada uma reunião de emergência, tendo sido contactados os presidentes da Mesa da Assembleia Geral e do Conselho Fiscal do clube, assim como o presidente da Mesa da Assembleia Geral da Sporting SAD, que corroboraram a decisão. Contudo, ultrapassados os constrangimentos que implicaram a não realização desta reunião, estão os órgãos de governo da Sociedade disponíveis para o seu reagendamento”, acrescentou a missiva.

“Fiz-me acompanhar de uma equipa porque, não sabendo o teor da reunião com o Conselho Fiscal da SAD do Sporting, queria adiantar o mais possível o esclarecimento do âmbito da auditoria. Paulo Pereira Cristóvão fazia parte dessa equipa, sendo apenas uma das pessoas, porque já foi candidato e dirigente do Sporting, é normal que pudesse ajudar em algumas áreas. Como referia o comunicado, fico agora à espera do reagendamento da reunião”, explicou João Pedro Paiva dos Santos ao Observador, já depois de ter falado à saída de Alvalade: “A minha intenção era esclarecer vários pontos entre a posição da Sporting SAD e o meu pedido de auditoria. Insistirei na auditoria e logo verei que medidas tomar”.

JOSE SENA GOULÃO/LUSA
Por Bruno Roseiro
@Observador.pt
Share on Google Plus

Sobre Smile Brain

Portal de informação diária relacionada com o Sporting Clube de Portugal. Artigos, Reportagens e Exclusivos relacionados com a maior potencia desportiva nacional.