"Fiz as pazes com Jesus em 5 minutos e claro que nos vamos falar" - Augusto Inacio

O atual treinador do Moreirense revela ao DN o almoço que colocou um ponto final em duas décadas de desavenças com folhas esquecidas à mistura. Domingo há reencontro


Depois de amanhã há um Moreirense-Sporting que oporá dois homens, Augusto Inácio e Jorge Jesus, que protagonizaram uma "guerra" iniciada no século XX, na época 1996/97, e que terminou no século XXI, mais propriamente com a chegada de Jesus a Alvalade - onde Inácio, com a contratação do treinador ao Benfica, passou de diretor desportivo a diretor de relações externas.

"Ficou tudo resolvido e não foi na Batalha, foi muito antes disso. Foi num almoço que tivemos em Alcochete. A Batalha foi depois", diz Inácio ao DN, referindo-se ao episódio público nos prémios Rugidos do Leão, realizados a 13 de novembro de 2015. Nesse dia, Augusto Inácio recebeu o seu prémio referente ao título de campeão em 2000, que se tinha extraviado e que até 2015 nunca tinha chegado ao destinatário. Quando subiu ao palco deixou 1500 pessoas atónitas ao referir que desejava que Jesus fosse distinguido no ano seguinte. E ao voltar para o seu lugar deu um longo abraço... a Jorge Jesus.

Mas, afinal, como é que os dois homens puseram para trás das costas anos e anos de má relação? "Foi em Alcochete, depois de Jorge Jesus estar no Sporting. Perguntaram-me: "há um almoço assim assim, há algum problema?" E eu respondi que não havia problema nenhum. Fomos, encontrámo-nos e falámos durante muito tempo sobre o Sporting e sobre a vida... as coisas antigas foram ultrapassadas em cinco minutos ou nem tanto. Foram coisas que se passaram e depois faltava alguém dar um passo. Ainda bem que tudo se resolveu, gosto de me dar bem com toda a gente", descreve Inácio ao DN, sem confirmar ou desmentir que o encontro tivesse sido patrocinado por Bruno de Carvalho, presidente dos verdes e brancos.

A última vez que se defrontaram foi na última jornada da I Liga 2012/2013. O Benfica, ferido depois de ter perdido tudo em Portugal e na Europa, venceu o Moreirense (3-1) e os dois técnicos voltaram a não se cumprimentar.

Mas domingo, afirma Inácio, vai ser diferente. "Se nos vamos cumprimentar? Mas por que razão não iria haver um aperto de mão se os dois treinadores se dão bem? Houve jogos em que não nos falávamos, por isso não havia aperto de mão.Agora que nos falamos porque é que não há-de haver?", questiona o técnico da formação minhota.

@DN.PT
Share on Google Plus

Sobre Smile Brain

Portal de informação diária relacionada com o Sporting Clube de Portugal. Artigos, Reportagens e Exclusivos relacionados com a maior potencia desportiva nacional.