Juve Leo arrasa estrutura e jogadores: «basta de desculpas com arbitragem»





A Juventude Leonina publicou ao início da madrugada, através do seu líder Nuno Vieira Mendes `Mustafa`, um texto muito contundente contra toda a estrutura do futebol do Sporting, manifestando o seu desagrado pelo momento da equipa. 


Leia o comunicado na íntegra:

«Em face dos maus resultados e das exibições medíocres protagonizadas pela equipa de futebol profissional do Sporting Clube de Portugal, vem a Juventude Leonina questionar, de quem será a culpa? Da estrutura? Da equipa técnica? Dos jogadores? Estrutura a quem questionamos a realmente mais-valia de alguns jogadores contratados, que nem na distrital têm lugar, em vez aproveitar os nossos talentos da formação que estão a dar cartas em outros clubes. Da equipa técnica que em alguns casos tomou decisões incompreensíveis e umas quantas vezes egoísta em palavras proferidas recolhendo os louros para si mesma. Dos jogadores que entram em campo e jogam a passo, sem atitude, sem querer. Todos juntos não dignificam as nossas cores, as cores do Sporting Clube de Portugal.

O ano passado éramos os maiores, entramos para esta época íamos ganhar tudo, atendendo a que a base da equipa é praticamente a mesma do ano passado, tendo saído apenas dois jogadores, perguntamos o que se passa? Uma equipa que ganha ao porto em casa, faz uma exibição brilhante em Madrid elogiada por toda a Europa, e não ganha, como todo o respeito, a um Chaves que acaba de subir de divisão e que comparado com o Sporting Clube de Portugal, nem um terço dor orçamento tem, deixa-nos envergonhados. A toda a estrutura dizemos que basta de desculpas com arbitragem, basta de desculpa com a sorte ou o azar, como se costuma dizer, a sorte procura-se, basta de falar constantemente nas outras equipas, o que realmente nos interessa é o Sporting Clube de Portugal. Nesta altura ninguém estará mais chateados como nós, com os milhares de euros que gastamos em prol do Sporting Clube de Portugal. 

Querem criticar o presidente, treinador e jogadores, tudo bem, mas nós não podemos fazer mais nada, o que se passou este ano é o que se passa em todos os anos, chega Janeiro estamos afastados de todas as competições. Aqui todos são culpados. Toda a estrutura merece a contestação dos sócios, pois são eles o maior património do Sporting Clube de Portugal, são eles que suportam o clube, logo têm todo o direito a manifestarem-se. A Juventude Leonina é totalmente contra qualquer tipo de desestabilização do Sporting Clube de Portugal. Alguns lembraram-se que o Sporting existia e saíram da toca à dois meses, única e exclusivamente para desestabilizar o Sporting Clube de Portugal, aproveitando os maus resultados da equipa. 

A Juventude Leonina não participa nem compactua com campanhas políticas, a única coisa que nos move é o amor incondicional ao Sporting Clube de Portugal. Podemos não nos manifestar, temos esse direito, pois na Juventude Leonina cada um é livre de votar no candidato que acha que melhor serve os interesses do Sporting Clube de Portugal. O que exigimos é o respeito e a dignidade total pelo Sporting Clube de Portugal, uma instituição centenária que devia ser um orgulho para qualquer um envergar a camisola verde e branca. Para concluir, esta situação não poderá ficar caída no esquecimento, terão que ser tomadas medidas. Qual será a melhor solução? O Presidente? O treinador? Os jogadores? De uma vez por todas, temos que perceber, que querem acabar com o Sporting Clube de Portugal, isso está à vista de todos. 

O que aconteceu este ano, passou-se durante todos estes anos. Há um senhor que diz que querem acabar com o Sporting, por isso só nos resta unir e renascer, pois só unidos venceremos. Independentemente dos resultados, apelamos ao mundo sportinguista, desde o adepto mais crítico ao maior apoiante, todos têm de ser responsabilizados.»

 @Jornal ABOLA
Share on Google Plus

Sobre Smile Brain

Portal de informação diária relacionada com o Sporting Clube de Portugal. Artigos, Reportagens e Exclusivos relacionados com a maior potencia desportiva nacional.