Godinho Lopes rejeita "branqueamento da História"

Ex-presidente emite comunicado a rejeitar responsabilidades no risco de dissolução da Sporting SGPS


Na reação a notícias vindas a público este sábado, o ex-presidente do Sporting Godinho Lopes, antecessor de Bruno de Carvalho na liderança do clube, rejeita ser apontado como o responsável pelo risco de dissolução da Sporting SGPS e esclarece o processo com o ex-administrador Pedro Baltazar, que está a receber 820 mil euros anuais da SAD leonina como parte de um acordo feito com a atual direção para resolver diferendo relativo à compra de ações da SAD que pertenciam à Nova Expressão, empresa de Pedro Baltazar.

Pode ler o comunicado na íntegra:
"Como desde a primeira hora, e sempre que sobre mim ou a equipa que liderei no Sporting Clube de Portugal saem referências falsas e ou deturpadas, venho esclarecer:

i). desde o primeiro momento fui sensível aos superiores interesses do Sporting Clube de Portugal e, por isso, apesar de desafiado a descer à praça pública para esclarecer, considero o Clube e a sua estabilidade o bem mais precioso pelo que tantas vezes me tenho inibido de responder a quem sobre mim lança tantas e infundadas acusações e suspeitas;

ii) nos últimos meses de 2016, a pedido do PMAG [presidente da Mesa da Assembleia Geral], desloquei-me ao Clube, onde, durante mais de sete horas, respondi de forma voluntária e colaborante a uma Comissão de Inquérito unilateralmente constituída pelo Conselho Directivo, tendo-me, no final, limitado a produzir considerações positivas. Isto mesmo sabendo antecipadamente qual seria o desfecho sobre os processos em curso;

iii). na manhã de ontem foi publicada no Correio da Manhã uma notícia que reincide em informações falsas (pois aludem a contas escondidas) enganadoras mas que, ainda assim, terão da minha parte resposta só em comunicado dado o momento importante da vida do Clube: a decorrer a época desportiva e: com eleições a 4 de Março;

iv). se, todavia, esta campanha contra mim se mantiver, reservar-me-ei o direito de alterar o silêncio que devo por respeito aos atletas e equipas técnicas, que nas mais diversas frentes trabalham diariamente para o sucesso do Sporting Clube de Portugal. Não serei eu, pois, quem continuará a desestabilizar!

v). faço este comunicado pois o Correio da Manhã de ontem faz duas referências ao meu mandato: contas da SGPS e pagamento a Pedro Baltazar.

Ora, como é do conhecimento de todos, saí em Março de 2013; as contas da SGPS naturalmente são todos os anos aprovadas e fechadas como o foram na época de 2011/2012. Havia, como para todas as empresas do Grupo Sporting, um auditor, BDO e foram entregues nas Finanças. Só não foram registadas na Conservatória, como acabo de apurar, pela instabilidade que se vivia no Clube; o que pelos vistos também ocorreu no final das épocas, 12/13, 13/14, 14/15 e 15/16 por responsabilidade exclusiva da actual direcção. Falar em eventual dissolução da SGPS e "mão salvadora", uma vez mais, da actual Direcção, agora no início de 2017, cerca de 4 anos depois de eu ter saído (Março de 2013), não engana ninguém a não ser evidenciar a desorganização interna do Clube, pelo que, assim, não tem outro propósito senão o de confundir os mais incautos ou distraídos. Não merece mais comentários.
.vi) Sobre o "pagamento a Pedro Baltazar" e exclusivamente também para esclarecer:

o valor mencionado, na medida em que o seu pagamento não está em causa, resulta este de um acordo feito entre a anterior Direcção de José Eduardo Bettencourt e o representante do accionista de então e membro do CA da SAD, Pedro Baltasar; li que o pagamento tem vindo, pelos vistos, a ser feito através de acordo com a actual Direcção - congratulo-me com esse facto, pois a minha direcção estava a negociar pagar cinco não seis milhões de euros quando o mandato foi, como se sabe, interrompido;
vii) afinal virá um sucedâneo a esta Direcção a pagar os acordos que esta fizer em nome do Sporting e por termino do seu mandato, e que ainda sejam vindouros. Sempre sucedeu e sucederá em qualquer sociedade.

viii) Esperei e desejei que a nossa equipa vencesse, ontem, em Chaves, de modo a assumir um lugar na classificação de acordo com o seu valor e que afinal os sócios e adeptos do Sporting merecem e desejo também e que nos concentremos no acto eleitoral que se avizinha, deixando para os Tribunais aquilo que a Direcção actual entendeu ser lá discutido;

ix) basta de "bodes expiatórios" e atitudes de auto-flagelação para, destruindo o Clube por dentro e dividindo o mesmo, e desviando as atenções do essencial: unir os Sportinguistas e engrandecer o nosso Clube.

Viva o Sporting"


Por Godinho Lopes.
@DN.PT
Share on Google Plus

Sobre Smile Brain

Portal de informação diária relacionada com o Sporting Clube de Portugal. Artigos, Reportagens e Exclusivos relacionados com a maior potencia desportiva nacional.