Atletismo: Sporting insurge-se contra "ligação privilegiada" do Benfica

O clube de Alvalade contesta a dispensa de um dos seus técnicos por telefone.


O Sporting, através da sua página no Facebook, denunciou esta segunda-feira a forma como Carlos Silva, técnico nacional e diretor técnico do Departamento de Atletismo do clube foi dispensado, alegadamente por telefone.

O clube de Alvalade insurge-se com o que diz ser uma “ligação privilegiada” dos responsáveis da Federação Portuguesa de Atletismo com o Benfica, afirmando-se ainda surpresos pelo facto de a justificação dada serem as funções exercidas por Silva no departamento de atletismo dos ‘leões’ quando, o mesmo facto, não impede os funcionários do Benfica de colaborarem com este organismo
Publicidade

Eis o comunicado na íntegra:

"Fomos desagradavelmente surpreendidos pelo facto de a Federação Portuguesa de Atletismo (FPA), através de um vice-presidente - Paulo Bernardo -, ter dispensado do cargo de Técnico Nacional o director técnico do Departamento de Atletismo do Sporting Clube de Portugal, Carlos Silva.

Fora uma decisão de carácter técnico ou profissional e nada haveria a dizer ou apontar. Sucede, porém, que a comunicação foi feita por telefone sob a justificação de que as funções exercidas por Carlos Silva no Sporting são incompatíveis com as que exercia, até agora, na Federação. Deste modo, a FPA ficou sem qualquer técnico nos seus quadros ligado ao Sporting CP. Mas, eis que permanecem em funções dois técnicos do Benfica, Pedro Rocha e João Abrantes, a quem se somam mais uns quantos ligados a outros clubes.

Ou seja, o regime de incompatibilidades decretado pela Federação Portuguesa de Atletismo apenas se aplica ao Sporting CP, já que outros técnicos podem continuar a exercer funções simultâneas nos clubes e na FPA.

Parece assim verificar-se uma ligação privilegiada a, pelo menos, um clube, uma vez que o responsável do Gabinete Médico da FPA, Ricardo Antunes, é, ao mesmo tempo, médico do Benfica sem que se entenda também que existe qualquer conflito de interesses ou incompatibilidade. E, para cúmulo que nos abstemos de qualificar, a actual directora do atletismo do Benfica e responsável pelo gabinete olímpico do clube, Ana Oliveira, exerce também funções técnicas em uma federação.

Não é admissível o que aconteceu com o Carlos Silva que, além de falta de educação e respeito, classifica mal uma federação que devia pautar a sua conduta pelo respeito pelo trabalho efectuado pelo técnico e não abona nada à sua isenção e independência face aos clubes. Na verdade, o que daqui resulta é que a FPA aparenta ter espírito sectário e estar ao serviço de um anti-sportinguismo primário".

Por Notícias Ao Minuto
Share on Google Plus

Sobre Smile Brain

Portal de informação diária relacionada com o Sporting Clube de Portugal. Artigos, Reportagens e Exclusivos relacionados com a maior potencia desportiva nacional.

0 comentários: