Orlando Sá: «Legia tem perfeita noção que o Sporting é uma boa equipa»

Português traça o perfil do adversário do Sporting: "Forte e bons taticamente." E conta porque disse ao amigo costa-riquenho para ter paciência com o técnico leonino.


Orlando Sá deixou saudades no Légia Varsóvia. Saiu em 2015 depois de vencer tudo o que havia para vencer (incluindo o troféu de melhor jogador e 15 golos em 42 jogos). Por isso sabe bem que tipo de adversário o Sporting vai enfrentar na Liga dos Campeões, esta terça-feira em Alvalade.

"O primeiro jogo do Légia foi atípico porque é uma equipa forte a jogar em casa e perdeu. Tenho a certeza de que o Légia vai tentar jogar com as linhas baixas, muito compacto e aproveitar os momento de contra-ataque porque tem jogadores rápidos na frente", revelou ao DN o avançado português, que já trocou impressões sobre o jogo com os ex-colegas da equipa polaca: "Eles têm noção de que o Sporting é uma boa equipa, com bons jogadores e bem treinada, que será difícil de enfrentar."

O que lhe perguntaram? "Eles conhecem vários jogadores do Sporting e sabem que Jorge Jesus gosta de um futebol de ataque e de pressão alta, sabem bem aquilo que os espera e têm perfeita noção de que o Sporting é favorito", respondeu o avançado português, atualmente ao serviço do Standard Liège (ver caixa).

E se fosse Jorge Jesus a ligar? "Dir-lhe-ia que os polacos são fortes e bons taticamente. Menos técnicos e talentosos com a bola do que os portugueses, mas sabem ser agressivos sobre a bola para tentar aproveitar o contra-ataque e criar o efeito surpresa. E são bons nas bolas paradas", avisou.

A equipa polaca chega a Alvalade com o orgulho ferido (depois da derrota, por 6-0, em casa, com o Dotmund) e à procura de pontos, frente ao Sporting, que também precisa de pontuar depois da derrota em Madrid (2-1).

E Magiera (39 anos) vai assumir o comando da equipa pela primeira vez. "É um ex-jogador do clube que conheci quando ele treinava a equipa B. Tenho a certeza de que ele sabe as debilidades da equipa e que terá de jogar de maneira humilde e agressiva para contrariar o favoritismo do Sporting", revelou, explicando que "Magiera é completamente o oposto de Jesus, um treinador calmo e que vive o jogo de uma maneira diferente".

O técnico leonino foi expulso no Bernabéu e vai para bancada: "Acredito que pela forma de jogar do Sporting a equipa possa sentir a falta dele, porque está constantemente a dar indicações para dentro do campo e vive o jogo com muita intensidade. Ter um treinador fora do banco nunca é positivo."

Apesar de já ter saído do clube polaco, o internacional português mantém o contacto com os jogadores do Légia. Principalmente com Malarz e Guilherme, um brasileiro que era júnior do Sp. Braga na mesma altura que o avançado jogava no Minho... treinado por Jorge Jesus, na época 2008-09. E por isso "gostava que eles sobressaíssem no jogo".

Orlando guarda boas recordações desses tempos na Pedreira: "Jesus foi o primeiro treinador que apostou em mim como profissional. Hoje, com 28 anos, se o tempo voltasse atrás teria aproveitado o que me ensinou de maneira diferente... desejo-lhe o melhor porque a maneira como ele trabalha todos os dias, apesar da sua arrogância natural de quem está habituado a ganhar, merece o sucesso que teve no Benfica e o sucesso que eu tenho a certeza que vai ter no Sporting."

Quando, em 2015, Bryan Ruiz chegou a Alvalade, Orlando, que o conhecia do Fulham, disse-lhe que teria de ter "alguma paciência" com o treinador leonino" [risos]. Dou-me muito bem com o Bryan. Na altura falámos sobre o Sporting, Jorge Jesus e a vida em Portugal. E lembro-me de ele perguntar sobre o treinador e eu ter-lhe dito que já tinha sido meu treinador no Sp. Braga e, entre outras coisas, disse-lhe que teria de ter paciência, mas para aproveitar o facto de ele ser um treinador que faz os jogadores render mais", confidenciou.

Orlando Sá ainda mantém o contacto com o costa-riquenho, "um jogador com grande qualidade técnica, que nasceu com um talento natural para jogar futebol, o jogador ideal para o futebol português". Para o avançado ex-Légia, "Bryan está na melhor fase da carreira e parte disso deve-se a Jesus, que o ajudou a melhorar em termos táticos e a ser mais agressivo e forte".

Apesar da admiração que sente pelo técnico leonino e a amizade com o costa-riquenho, o ex-jogador do clube polaco não tem dúvidas: "Não seria justo escolher um vencedor que não o Légia." Mas, se pudesse escolher, eliminava o Real e o Dortmund: "Que me perdoem o Cristiano, o Pepe e o Coentrão, mas para bem do futebol europeu tem de haver novos protagonistas!"

Fonte: DN
Share on Google Plus

Sobre Smile Brain

Portal de informação diária relacionada com o Sporting Clube de Portugal. Artigos, Reportagens e Exclusivos relacionados com a maior potencia desportiva nacional.

0 comentários: