Bruno de Carvalho está a negociar a entrada de novos investidores na SAD

A Sporting SAD deverá decidir hoje em assembleia-geral a entrada de dinheiro fresco no montante de 44 milhões de euros, dos quais 18 milhões serão através de um aumento de capital e 26 milhões por via de suprimentos provenientes das mais-valias geradas pela venda de João Mário ao Inter de Milão e de Slimani ao Leicester, apurou o Jornal de Notícias junto de fontes da SAD.

Estas duas operações terão de ser feitas obrigatoriamente durante este ano desportivo e sem as quais o Sporting será forçado a dissolver a sociedade anónima desportiva com efeitos nefastos para todos os acionistas, começando pelo próprio Sporting, que detém no total 64% da sociedade, da Holdimo, a empresa do angolano Álvaro Sobrinho, com 30%, e da Olivedesportos (3%).

A SAD do Sporting será obrigada a aumentar o seu capital social dos atuais 67 milhões de euros para 111 milhões para conseguir ultrapassar a situação prevista no artigo 35.º do Código das Sociedades Comerciais em que o ativo representa a menos de metade do passivo.

A consultora PwC, que certificou as contas da Sporting SAD relativas ao último exercício terminado em junho, chama a atenção que os leões “apresentam um capital próprio negativo” no montante de cerca de 25 milhões de euros, um prejuízo de 31,9 milhões de euros e um passivo corrente superior ao ativo corrente em 79,2 milhões de euros.

Perante esta situação, o Sporting vai fazer um aumento de capital de 18 milhões de euros “a realizar por entradas em dinheiro”, sendo que será o presidente Bruno de Carvalho a liderar a operação “junto de investidores de referência selecionados” e sem que os atuais acionistas tenham direitos de preferência, segundo informação fornecida no relatório e contas de 2015/2016.

Novos acionistas negociados. Fonte próxima dos leões terá afirmado ao diário que a entrada de novos acionistas está ainda a ser negociada e que o aumento de capital previsto pode não ser feito todo de uma vez, conforme uma autorização dada pela assembleia geral em 2013 ao conselho de administração, que poderá “proceder a um ou mais aumentos do capital social” até ao montante dos 18 milhões de euros.

A mesma fonte explica que o montante de 26 milhões para completar os 44 milhões em falta não será feito com a entrada de dinheiro fresco, mas através de suprimentos das vendas de João Mário e Slimani, que rendeu à SAD 54 milhões de euros já nesta época desportiva.

Esta é uma questão que não parece preocupar a administração liderada por Bruno de Carvalho uma vez que está convicta que, “com linhas orientadoras já anteriormente anunciadas, sustentado e as- sente no projeto de reestruturação financeira já implementado e tendo em consideração os factos subsequentes”, como a venda de jogadores já neste ano desportivo, “permitirão à SAD criar valor, gerar lucros e sair da situação de perda de metade do capital em que se encontra”.

Fonte: Diario de Noticias.
Share on Google Plus

Sobre Smile Brain

Portal de informação diária relacionada com o Sporting Clube de Portugal. Artigos, Reportagens e Exclusivos relacionados com a maior potencia desportiva nacional.

0 comentários: