Chegam Dost e Castaignos, Slimani a sair. A revolução no ataque leonino

Avançados holandeses foram apresentados, argelino despediu-se de Alvalade em lágrimas. Leão tem 15 dias para se reinventar

Foi um dia de emoções fortes: apresentaram-se Bas Dost, Luc Castaignos e Pedro Delgado, João Mário já não estava lá e Carlos Mané e Islam Slimani despediram-se, debaixo de aplausos e em lágrimas (embora sem destino oficial...). A equipa do Sporting entrou em revolução em cima do fecho do mercado de verão, ao mesmo tempo que se isolou no 1.º lugar da I Liga. Agora, o desafio é reconstruir o ataque, esperando-se que os reforços "tenham qualidades para colmatar a ausência de João Mário e de Slimani" e "se adaptem facilmente ao modelo de jogo do seu treinador", como alertam Carlos Xavier e Manuel Cajuda.

Na última semana do mercado de transferências de verão resolvem-se finalmente os negócios que se arrastaram ao longo da estação: isso tem significado grandes movimentações nos últimos dias em Alvalade. Depois da oficialização no sábado à noite da venda de João Mário ao Inter de Milão (por 40 milhões de euros mais cinco sujeitos ao cumprimento de objetivos do médio no clube italiano), ontem o dia do clássico com o FC Porto ficou marcado pela chegada de reforços ao Sporting. Primeiro apresentou--se Bas Dost, avançado holandês de 27 anos, vindo do Wolfsburgo (num negócio estimado em perto de dez milhões de euros, embora os leões não tenham divulgado os valores). "Sou um puro n.º 9", explicou o ponta-de-lança, que assinou por quatro anos, dizendo que se deixou cativar pelo interesse demonstrado pelo clube lisboeta "desde o início" e pelas informações que lhe foram dadas pelo compatriota Ricky van Wolfswinkel, ex-jogador leonino.

Depois, aterrou em Lisboa outro reforço ofensivo: Luc Castaignos, avançado holandês de 23 anos, vindo do Eintracht Frankfurt (negócio também sem valores oficiais, mas avaliado em 2,5 milhões de euros). "Sou um jovem jogador e acho que este é o sítio perfeito para jogar, para crescer e aprender imenso", apresentou-se o atleta, que assinou por três épocas (mais duas de opção), descrevendo-se com um avançado mais móvel, que não se fixa tanto no centro da área.

A contratação dos dois avançados - a que se junta a de Pedro Delgado, médio-ofensivo de 19 anos, vindo do Inter de Milão para o Sporting B -prenuncia mais novidades no ataque dos leões: Carlos Mané e Islam Slimani estarão bem próximos da porta de saída de Alvalade.

O extremo português de 22 anos deverá ser emprestado ao Estugarda ou ao Olympiacos, com opção de compra. Já o ponta-de-lança argelino de 28 anos pode valer mais um negócio milionário para os cofres leoninos. O Leicester parece disposto a pagar 30 milhões de euros pelo jogador, mas o Sporting terá subido ontem a parada para os 40 milhões - valor considerado irrealista pelo atual campeão inglês, segundo a BBC. No entanto, haverá outros emblemas da Premier League (como o WBA) interessados na contratação do goleador, principal referência do ataque leonino nas últimas épocas.

Como refazer o ataque em 15 dias

Perante tanto assédio - "foi uma semana muito complicada, acho que só não tentaram contratar o treinador do Sporting", queixou-se ontem o técnico leonino, Jorge Jesus -, a dúvida é como será possível aos leões refazerem quase por completo o ataque, já que nas últimas semanas também tinham saído Teo Gutiérrez e Hernán Barcos e entrado Alan Ruiz, André e Joel Campbell.

Têm cerca de duas semanas para redesenhá-lo, aproveitando a pausa na I Liga para os compromissos das seleções. Manuel Cajuda, treinador, e Carlos Xavier, ex-jogador da equipa leonina, apontam o caminho.

"O futebol moderno implica que um treinador esteja preparado para as sucessivas mexidas do mercado e tenha sempre novas soluções em mente. Jorge Jesus deve ter escolhido reforços que sirvam a sua ideia e modelo de jogo, para que se ajustem mais facilmente à equipa", explica Cajuda. O técnico nota que, mesmo que o tempo seja "indispensável" para os jogadores se adaptarem à equipa, eles "terão sempre características diferentes" dos que deixaram o plantel - o que pode mudar ou até melhorar as características do Sporting, mesmo sem mudar o seu modelo de jogo.

Assim, os 15 dias de pausa competitiva (até à visita ao Moreirense, para a 4.ª jornada da I Liga) serão fulcrais para "se conhecer os novos jogadores e ver como encaixam na equipa", realça Carlos Xavier. O antigo médio do Sporting espera para perceber o que Joel Campbell ("belíssimo jogador") e Bas Dost ("bom finalizador") podem fazer de leão ao peito e só lamenta que o clube não aposte mais em jogadores portugueses. No entanto, não há volta a dar: é esta a equipa que o mercado de verão redesenhou.

Filipe Amorim / Global Imagens
Fonte: DN
Share on Google Plus

Sobre Smile Brain

Portal de informação diária relacionada com o Sporting Clube de Portugal. Artigos, Reportagens e Exclusivos relacionados com a maior potencia desportiva nacional.

0 comentários: